Mídia

Tópicos sobre meteorologia em geral, os quais não se enquadram nos demais fóruns.
Avatar do Utilizador
Carlos Dias
Cumulonimbus incus
Mensagens: 26636
Registado: sexta mar 13, 2009 2:39 pm
Localização: Toronto - Canadá
Contacto:

Mídia

Mensagempor Carlos Dias » domingo set 01, 2013 12:34 am

O que saiu nos jornais, televisão, blogues, sites etc sobre temas relacionados à meteorologia.

Avatar do Utilizador
Mafili
Cumulonimbus incus
Mensagens: 8652
Registado: segunda mar 30, 2009 12:34 pm
Localização: Ibiúna SP

Re: Mídia

Mensagempor Mafili » domingo set 01, 2013 7:59 am

Metsul esclarece dúvida de Carlos Campos.

Frio e neve matam 22 mil animais em três países do continente
Pachamama gelou !!!! A poderosa massa de ar polar de natureza continental que foi responsável pela neve desta semana no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina provocou graves conseqüências sociais e econômicas em países da América do Sul.

Imagem

http://www.metsul.com/blog2012/
Prediction is very difficult, especially if it’s about the future...Niels Bohr
“There’s nothing so absurd that if you repeat it often enough, people will believe it.” – William James

Avatar do Utilizador
Mafili
Cumulonimbus incus
Mensagens: 8652
Registado: segunda mar 30, 2009 12:34 pm
Localização: Ibiúna SP

Re: Mídia

Mensagempor Mafili » quarta set 04, 2013 12:12 am

O LINK DO ARTIGO ESTÁ NO TÓPICO ENSO.....CLARO QUE A MÍDIA SIMPLIFICAS AS COISAS PARA OS LEITORES E NORMALMENTE SIMPLIFICA DEMAIS.
Cooling Pacific has dampened global warming, research shows

Research explains why changes in tropical waters could be responsible for recent 'pause' in rising temperatures

Fiona Harvey

The Guardian, Wednesday 28 August 2013 18.00 BST.........[guardem este nome FIONA HARVEY, será útil em breve]

Cooling waters in the tropical Pacific Ocean appear to be a major factor in dampening global warming in recent years, scientists said on Wednesday.

Their work is a big step forward in helping to solve the greatest puzzle of current climate change research – why global average surface temperatures, while still on an upward trend, have risen more slowly in the past 10 to fifteen years than previously.

Waters in the eastern tropical regions of the Pacific have been notably cooler in recent years, owing to the effects of one of the world's biggest ocean circulatory systems, the Pacific decadal oscillation.

Many people are aware of the El Niño and La Niña weather systems, which affect the Pacific and bring hotter and stormier or cooler weather in cycles of just a few years, and can have a strong effect on global weather. But few are aware that both of these systems are just part of the much bigger Pacific decadal oscillation, which brings warmer and cooler weather over decades.

The system is now in a cooling phase, scientists have noted, which could last for years. The last such phase was from the 1940s to the 1970s.

Imagem

The new study by the Scripps Institution of Oceanography and supported by the US government's National Oceans and Atmospheric Administration (NOAA), published in the journal Nature, has linked the "pause" in global warming with the Pacific oscillation.

Dan Barrie, programme manager at NOAA, called the research "compelling" and said: "[It] provides a powerful illustration of how the remote eastern tropical Pacific guides the behaviour of the global ocean-atmosphere system, in this case exhibiting a discernible influence on the recent hiatus in global warming."

In winter, the effect of the cooler phase of the oscillation on the northern hemisphere is to depress temperatures slightly; but in summer, the cooler waters in the equatorial Pacific have less impact on the northern hemisphere's weather. The scientists, using computer models, compared their results with observations and concluded that global average annual temperatures have been lower than they would otherwise have been because of the oscillation. But the observed higher summer temperatures of recent years show more of the true effects of global warming, according to the research. Global average temperatures are taken over the whole year, obscuring the effect of this seasonal variation.

Shang-Ping Xie, professor of environmental science at Scripps, said: "In summer, the equatorial Pacific's grip on the northern hemisphere loosens, and the increased greenhouse gases continue to warm temperatures, causing record heat waves and unprecedented Arctic sea ice retreat."

Dr Alex Sen Gupta, of the Climate Change Research Centre at the University of New South Wales, who was not part of the study team, said: "The authors have set up some elegant experiments using a climate model to test whether a natural oscillation that has gone through a large swing in the tropical Pacific Ocean over the last decade can explain the recent halt in surface global warming … the new simulation accurately reproduces the timing and pattern of changes that have occurred over the last four decades with remarkable skill. This clearly shows that the recent slowdown is a consequence of a natural oscillation."

The role of oceans in regulating the planet's temperatures has taken on a greater significance in climate change research, as not enough is yet known about how ocean currents and the circulation of warmer surface water to the deep oceans below affect the weather and climate.

Research indicates that oceans have absorbed much of the heat and about a third of the additional carbon dioxide pumped into the air from pre-industrial times. This has an effect – the thermal expansion of the oceans is likely to be the biggest factor behind sea level rise, and the absorption of carbon dioxide is making the oceans more acidic.

Scientists also think that the circulation of heat from the top layers of the ocean, which have been most affected to date, to the deeper oceans below may be another factor behind the "hiatus" in global warming. What the full effects of this exchange of energy may be, particularly on ocean currents, is not yet known.

Researchers have called for more observations of the ocean, including many more buoys and underwater readings.

The slowdown in the upward march of global average temperatures has been greeted by climate sceptics as evidence that the climate is less affected by greenhouse gases than thought. But climate scientists are much more cautious, pointing out that the trend is still upwards, and that the current temperature rises are well within the expected range. Past temperature records and computer predictions both show that periods of slower rises are to be expected as part of the natural variability of the planet's climate.

These issues are likely to be a major focus of the forthcoming report by the Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), the body of scientists who produce the most authoritative and comprehensive summaries of climate research. Their eagerly awaited fifth report, seven years since the last, will be published next month. It is likely to affirm that scientists are more certain than ever – at least 95%, up from 90% previously – that climate change is happening and is mostly caused by human actions, but it may suggest that the climate is slightly less sensitive to carbon than some outlying research has posited. That may mean that some of the highest estimates of future temperature rises, of more than 6C within several decades, are less likely, but it does not let the world off the hook – warming of more than 2C is still highly likely on current high emissions trends, and that would cause severe consequences around the world.

A discussion of the recent "hiatus" in temperature rises, and its causes, will form an important part of the IPCC report. However, as the main source papers for the IPCC had to be gathered some time ago, the Scripps-led study of the Pacific decadal oscillation will not have made it into the final report, the first part of which will be presented at a meeting in Stockholm next month.

The Scripps research team said the current cooling phase in the Pacific began just after a strong El Niño year in 1998, but that it was not possible to predict when it might end.

They arrived at the conclusion by using innovative computer modeling methods to simulate regional patterns of climate anomalies. This enabled them to see global warming in greater spatial detail, revealing where it has been most intense and where there has been no warming or even cooling.

They developed new computer models that could show regional and seasonal variations in temperature, as well as global patterns. "Climate models consider anthropogenic forcings like greenhouse gases and tiny atmospheric particles known as aerosols, but they cannot study a specific climate event like the current hiatus," said Yu Kosaka, co-author of the Nature paper. "We devised a new method for climate models to take equatorial Pacific ocean temperatures as an additional input."

When these were taken into account, the models predicted the temperature changes observed, including the current "hiatus" in the upward climb of temperatures.

The scientists warned, however, that when the current cooling phase turns, the upward march of temperatures is likely to resume, perhaps at faster rates than before as greenhouse gas emission rates are higher.

Xie said: "We don't know precisely when we're going to come out of [the hiatus] but we know that over the timescale of several decades, the climate will continue to warm as we pump more greenhouse gases into the atmosphere."

Some of the effects of the cooling in the Pacific are not straightforward – drier temperatures in the US midwest are one of the associated results.

During the last cool phase, warmer, drier weather dominated in the midwestern US, as it has in the past 15 years with a serious drought prevailing through much of the region for much of the time.
Prediction is very difficult, especially if it’s about the future...Niels Bohr
“There’s nothing so absurd that if you repeat it often enough, people will believe it.” – William James

Sérgio Moreira
Cumulonimbus calvus
Mensagens: 3198
Registado: terça nov 06, 2012 8:37 pm
Localização: Campos do Jordão/Taubaté - SP

Re: Mídia

Mensagempor Sérgio Moreira » quarta set 04, 2013 4:46 pm

Se não chover bastante, nas regiões certas, teremos problemas.

Barragens do Nordeste estão com nível crítico
04 de setembro de 2013 |

ALEXA SALOMÃO - Agencia Estado

SÃO PAULO - As barragens das usinas hidrelétricas do Nordeste encerraram o mês de agosto no nível mais baixo dos últimos 10 anos para esse mês. Os reservatórios de Sobradinho e Três Marias, que respondem por quase todo o abastecimento da região, estão com apenas 36% da capacidade.

Preocupado em assegurar o abastecimento local, o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp, declarou, na terça-feira, 3, durante um evento sobre energia no Rio, que pode solicitar na reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), marcada para hoje, em Brasília, que sejam acionadas usinas térmicas do Nordeste. O encontro também discutirá as causas do apagão na região, na semana passada.

Se a sugestão for feita e aceita, as térmicas voltam a operar dois meses após o mesmo comitê optar pelo desligamento. "A decisão lá atrás foi inacreditável: contrariou a lógica da segurança do abastecimento", diz João Mello, presidente da consultoria Thymos Energia.

Na ocasião, foram desligadas térmicas a óleo e a diesel, mais caras. A medida aliviou os gastos do Tesouro Nacional, que banca o custo extra das térmicas. Mas, assim, o Nordeste passou a consumir mais energia do Sudeste, sobrecarregando a geração numa região onde os reservatórios também sofrem.

Nas usinas do Sudeste, consideradas o coração do abastecimento nacional, os reservatórios encerraram agosto com 55% da capacidade - o pior nível desde 2001, ano do racionamento. "É fundamental manter as térmicas", diz Mello. "Caso contrário, o risco de racionamento, hoje concentrado no Nordeste, pode atingir outras regiões."

Segundo Marcelo Parodi, diretor da comercializadora Compass, a volta das térmicas mais caras tende a elevar os gastos extras com a geração e trazer de volta um problema: "Quem vai pagar a conta?", pergunta. Pela regra anterior, até agosto, o custo era rateado por geradores, comercializadores e distribuidoras. "E como fica agora?"

Mais dinheiro

O Tesouro Nacional autorizou ontem mais uma emissão de R$ 2,04 bilhões de títulos em favor da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), fundo setorial que cobre as despesas das distribuidoras com a energia produzida pelas usinas térmicas.

Em audiência no Senado, o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, afirmou que o valor de repasse à CDE neste ano será "possivelmente menor que R$ 9 bilhões, mas será expressivo". Colaboraram Laís Alegretti, Mônica Ciarelli, Renata Veríssimo e Sandra Manfrini.
AQUI É SÃO PAULO.

Avatar do Utilizador
Aldo Santos
Cumulonimbus mammatus
Mensagens: 5655
Registado: sábado nov 10, 2012 1:05 pm
Localização: São Paulo-SP

Re: Mídia

Mensagempor Aldo Santos » quarta set 04, 2013 6:44 pm

Só um detalhe: o reservatório de Três Marias fica no rio São Francisco, mas em Minas Gerais, a cerca de 250 km a NO de Belo Horizonte.

Avatar do Utilizador
Mafili
Cumulonimbus incus
Mensagens: 8652
Registado: segunda mar 30, 2009 12:34 pm
Localização: Ibiúna SP

Re: Mídia

Mensagempor Mafili » sábado set 07, 2013 1:19 pm

Deu no Correio do Povo;

http://www.correiodopovo.com.br/blogs/c ... stentavel/

Influência humana no aquecimento é inquestionável, conforme cientistas
Postado por redacao em 21 de agosto de 2013 - Meio ambiente
A responsabilidade humana no aquecimento global não pode ser questionada, segundo o rascunho do último relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU (IPCC, na sigla em inglês), que vazou para a imprensa esta terça-feira.

“É muito provável que a influência humana no clima seja responsável por mais da metade do aumento da temperatura da superfície terrestre entre 1951 e 2010″, destaca o IPCC no documento ao qual o jornal The New York Times teve acesso. “Há um alto grau de confiabilidade para dizer que isto (a influência humana) provocou o aquecimento das águas oceânicas, o derretimento da neve e o gelo, e a cheia dos oceanos”, destacou o IPCC, para o qual o nível das águas poderia aumentar 90 centímetros em 2100.

“Os cientistas estão cada vez mais convencidos, como demonstra a evidência científica cada vez mais forte, de que somos os principais responsáveis, não só pelo aquecimento global, mas também por muitas consequências que já estamos vendo, como inundações maiores, incêndios florestais mais devastadores, derretimentos recorde dos gelos e ondas de calor mais frequentes e intensas”, disse à AFP o climatologista americano Michael Mann.

A linguagem adotada pelos especialistas do IPCC é mais forte do que o empregado no informe oficial da ONU, publicado em 2007. O porta-voz do IPCC, Jonathan Lynn, afirmou em um comunicado que “o projeto de relatório provavelmente será modificado para levar em conta os comentários recebidos dos diferentes países nas últimas semanas”.

Ele acrescentou que, “antes de sua aprovação”, o relatório “será discutido por representantes governamentais e científicos durante uma reunião de quatro dias no final de setembro”. “É prematuro tirar conclusões do projeto de relatório”, destacou. Michael Mann, diretor do Centro de Ciências da Terra da Universidade da Pensilvânia, norte dos Estados Unidos, expressou a preocupação de que a versão final seja mais branda.

“Os cientistas que participam na elaboração do relatório do IPCC poderiam temer ser muito brutais sobre o futuro impacto do aquecimento global, desatando ataques de céticos das mudanças climáticas”, acrescentou. “Acredito que estas pressões, junto com a resistência natural dos cientistas em chegar a conclusões taxativas demais, o relatório final do IPCC poderia minimizar o fator humano das mudanças climáticas”, advertiu o climatologista.

Mas Christopher Field, cientista do Instituto Carnegie para a Ciência, que participou da elaboração dos relatórios anteriores do IPCC, o painel considera todos os pontos de vista científicos plausíveis. “Acho que o IPCC tem a tradição de ser muito conservador porque tem a ambição de ser exato”, disse ao The New York Times.
Prediction is very difficult, especially if it’s about the future...Niels Bohr
“There’s nothing so absurd that if you repeat it often enough, people will believe it.” – William James

Avatar do Utilizador
Mafili
Cumulonimbus incus
Mensagens: 8652
Registado: segunda mar 30, 2009 12:34 pm
Localização: Ibiúna SP

Re: Monitoramento e Prev Regióes Centro-Sul - Setembro 2013

Mensagempor Mafili » quinta set 26, 2013 9:31 am

Luciano, Pirayork :laugh: :rofl:

30 pinguins que estão no local

Não sei exatamente o tamanho das colônias destes pinguins....mas 30 que se rebelaram contra o frio e vieram assistir o rock in rio na mais maravilhosa das cidades.

Pela liberdade térmica dos pinguins.


http://oglobo.globo.com/rio/rio-sofre-com-ventos-fortes-ressaca-10137807

RIO - A chegada da primavera trouxe ventos de quase 72 km/h, ressaca, queda da temperatura no Rio e um visitante ilustre. Um pinguim foi encontrado logo no começo da manhã desta quarta-feira na Praia do Leblon. Por volta das 6h, frequentadores de uma academia de ginástica ao ar livre, na altura da Rua João Lira, avistaram o pinguim-de-magalhães e o levaram ao Posto 11. Os salva-vidas chamaram a patrulha ambiental, que recolheu o pinguim e o levou ao Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS), da Universidade Estácio de Sá. A ave está sendo avaliada no local.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/rio-sofre-c ... z2g05tPGtG
© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Esses pinguins chegam todos os anos entre junho e setembro, na sua maior parte, com ocasionais registros em outros meses. A origem é a Patagônia argentina onde há muitas colônias reprodutivas pela costa. São como 'náufragos' levados pela correntes até bem distante da sua origem.
No CRAS, o veterinário Rafael Nudelman encontrou o pinguim muito debilitado. Ele diz que as aves se desgastam muito durante o nado até a costa brasileira e perdem muita musculatura e gordura.
- Os pinguis geralmente pesam 5kg e chegam aqui com 1,5kg. Nós temos que hidratar, bater peixe no liquidificador para alimentá-lo por sonda e tratar com antibiótico para evitar infecções respiratórias - explica o veterinário. Ainda não se tem previsão de liberar o animal, mas ele só deve voltar ao mar com os outros cerca de 30 pinguins que estão no local


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/rio-sofre-c ... z2g06Ftxj4
© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Prediction is very difficult, especially if it’s about the future...Niels Bohr
“There’s nothing so absurd that if you repeat it often enough, people will believe it.” – William James

Avatar do Utilizador
Flavio Feltrim
Altocumulus castellanus
Mensagens: 534
Registado: terça mai 14, 2013 7:12 pm
Localização: Curitiba

Re: Mídia

Mensagempor Flavio Feltrim » quinta set 26, 2013 3:03 pm

Termômetro global

A Terra deve esquentar menos até o fim século do que os cientistas estimavam. É o que indicam dados preliminares do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), da Organização das Nações Unidas (ONU), que devem ser consolidados entre hoje e amanhã. O relatório está sendo formulado por um grupo de especialistas reunido em Estocolmo, na Suécia.
Segundo o relatório, ainda em fase de desenvolvimento, o termômetro global poderá subir entre 0,2°C e 4,8°C até 2100. Os números são mais otimistas quando comparados com os apresentados no levantamento anterior, realizado em 2007, e que apontou aumento da temperatura até o fim do século entre 1,1° C e 6,4° C.

O desequilíbrio radioativo da Terra, provocado em sua maior parte por emissões de gases de efeito estufa, é tido como fator determinante para o aquecimento global, seja ele em escala maior ou menor, e também para a elevação do nível dos oceanos, que foi de 44% em 6 anos.

No documento se lê que "o aumento da concentração de CO2 desde 1750, dá a maior contribuição líquida para a forçante radioativa e também a maior contribuição para aumentar a força antropogênica (causada pelo homem) em cada década desde os anos 60".

Este é mais um passo que os cientistas dão no sentido de estabelecer uma avaliação quantitativa do grau de responsabilidade humana pelo aquecimento. O rascunho ainda é genérico sobre o tema. "É extremamente provável que a influência humana no clima tenha causado mais da metade do aumento observado da temperatura média na superfície global entre 1951 e 2010", diz o texto. "Há alta convicção de que isso aqueceu o oceano, derreteu neve e gelo, elevou o nível global do mar".

A sentença ainda pode evoluir até a divulgação do relatório final. De acordo com o físico brasileiro Paulo Artaxo, doutor em Física Atmosférica, professor da Universidade de São Paulo (USP) e membro do IPCC, as informações sobre o desequilíbrio radioativo da Terra são o que há de mais importante no relatório até aqui. "A forçante radioativa do relatório de 2007 era 1,6 watts por metro quadrado. Agora é de 2,2 watts por metro quadrado. Isso significa que o homem está alterando muito o balanço radioativo terrestre", explicou.
As estatísticas sobre o desequilíbrio radioativo são uma resposta importante da comunidade científica às críticas recentes sofridas pelo IPCC quanto à suposta "desaceleração" do aquecimento global. A "pausa" da curva de aumento da temperatura foi diagnosticada pelos cientistas entre 1998 e 2012, intervalo de tempo em que a variação de temperatura média da Terra foi de 0,05 °C por década, menor do que a tendência entre 1951 e 2012, quando a variação foi de 0,12 °C.

Essa constatação serviu para que cientistas e políticos que negam o aquecimento global atacassem o trabalho do IPCC nas últimas duas semanas, acusando-o de ser contraditório. Os pesquisadores alegam, no entanto, que variações em intervalos curtos de tempo, como 15 anos, são normais e não mudam a tendência de aquecimento em longo prazo.

http://www.odiario.com/zoom/noticia/773439/termometro-global/

Chupa Al Gore!! Ops...
Laboratório de Climatologia
Laboclima - UFPR
www.laboclima.ufpr.br

Avatar do Utilizador
Mauro Dornelles
Nimbostratus
Mensagens: 336
Registado: domingo mar 15, 2009 12:43 am
Localização: Porto Alegre - RS
Contacto:

Re: Mídia

Mensagempor Mauro Dornelles » sexta set 27, 2013 10:36 pm

Fotógrafo 'caça' tempestades nos Estados Unidos.


Imagem


http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticia ... _lgb.shtml
"...Vento negro, campo afora, vai correr
Quem vai embora tem que saber, é viração ..." (Almôndegas - Vento Negro).

Avatar do Utilizador
Carlos Dias
Cumulonimbus incus
Mensagens: 26636
Registado: sexta mar 13, 2009 2:39 pm
Localização: Toronto - Canadá
Contacto:

Re: Mídia

Mensagempor Carlos Dias » quinta out 03, 2013 2:09 pm

Porteiros farão curso de meteorologia para aperfeiçoar conversa com moradores

Numa iniciativa inédita do Ministério das Cidades, os porteiros dos prédios residenciais e comerciais terão direito a fazer cursos na área de meteorologia custeados pelo Governo. A ideia é garantir a precisão dos palpites destes profissionais na previsão do tempo para o dia corrente e os subsequentes.

“Cansei de sair de casa sem guarda-chuva porque meu porteiro garantiu que não ia chover”, disse um morador de Copacabana ao ser questionado sobre a eficácia do projeto.

Outro projeto em estudo é garantir aos ascensoristas de prédios comerciais acesso a cursos de jornalismo esportivo para que os profissionais estejam plenamente capacitados para responder a perguntas do tipo: “e o mengão ontem, hein?”


JS

Sérgio Moreira
Cumulonimbus calvus
Mensagens: 3198
Registado: terça nov 06, 2012 8:37 pm
Localização: Campos do Jordão/Taubaté - SP

Re: Mídia

Mensagempor Sérgio Moreira » quarta out 09, 2013 10:58 am

Li ontem no Valor Econômico, que a empresa multinacional New Generation Power e o grupo Léros aqui de São Paulo, projetam construir uma megausina solar em Taubaté. A potência total instalada será de 500MW com um investimento de no mínimo R$ 2 bilhões.
Me chamou atenção essa notícia, por ser aqui, pelo tamanho do empreendimento, pelos valores envolvidos e por ser fora do NE, onde geralmemte se concentram essas usinas.
AQUI É SÃO PAULO.

Avatar do Utilizador
Mauro Dornelles
Nimbostratus
Mensagens: 336
Registado: domingo mar 15, 2009 12:43 am
Localização: Porto Alegre - RS
Contacto:

Re: Mídia

Mensagempor Mauro Dornelles » sexta abr 24, 2015 9:48 am

Matéria, em inglês, sobre novo satélite que fará medições do vento através de laser ajudando a melhorar as previsões meteorológicas:

http://mashable.com/2015/04/24/wind-las ... -satellite
"...Vento negro, campo afora, vai correr
Quem vai embora tem que saber, é viração ..." (Almôndegas - Vento Negro).

Camila
Contrail
Mensagens: 5
Registado: terça jul 01, 2014 10:20 am

Re: Mídia

Mensagempor Camila » sexta mai 06, 2016 4:47 pm

Previsão do tempo do Jornal Hoje praticamente uma matéria do sensacionalista:

http://g1.globo.com/jornal-hoje/videos/ ... s/5006309/

coutinho
Moderador global
Mensagens: 16506
Registado: sexta mar 13, 2009 2:36 pm
Localização: São Joaquim SC

Re: Mídia

Mensagempor coutinho » sexta mai 06, 2016 5:29 pm

VERDADE, CAI DA CADEIRA COM TANTA "PRECISÃO"....

Avatar do Utilizador
Moretão
Cumulonimbus calvus
Mensagens: 3379
Registado: domingo jul 03, 2011 7:27 pm
Localização: Vale do Itajaí, SC

Re: Mídia

Mensagempor Moretão » sexta mai 06, 2016 6:07 pm

Nossa Senhora, colocaram um GPS na FF.

E a segunda FF será o "bixo"
*Real 23 anos: Uma moeda que sobreviveu a várias crises fiscais, de confiança e ao PT.

Imagem

Imagem

HenriqueBH
Pyrocumulus
Mensagens: 2163
Registado: domingo abr 15, 2012 4:27 pm

Re: Mídia

Mensagempor HenriqueBH » sexta mai 06, 2016 7:04 pm

Camila Escreveu:Previsão do tempo do Jornal Hoje praticamente uma matéria do sensacionalista:

http://g1.globo.com/jornal-hoje/videos/ ... s/5006309/


Chuparam o que a Joselia falou no Climatempo News de hoje.O mapa e igualzinho.


Voltar para “Meteorologia Geral”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 9 visitantes